AREIA BRANCA HORIZONTAL TOPO

Casos de homicídios e furtos aumentam e roubos recuam na cidade em 2021

Polícia

No período, 305 prisões foram efetuadas na cidade e 812 inquéritos instaurados

De janeiro a dezembro do ano passado, 187 flagrantes foram lavrados em Penápolis

De janeiro a dezembro do ano passado, 187 flagrantes foram lavrados em Penápolis. Foto: Arquivo/JI

FUNEPE INSTITUCIONAL horizontal meio da notícia

Penápolis fechou 2021 com aumento nos homicídios e furtos e recuo nos casos de roubos, em comparação com o mesmo período do ano anterior. Os dados foram disponibilizados essa semana pela SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo). De acordo com os números, três pessoas foram assassinadas em 2020.

Já de janeiro a dezembro do ano passado, a quantidade passou para cinco, uma elevação de 66%. Os casos de furtos ocorridos na cidade também subiram 15%, passando de 437 para 504, assim como o furto e roubo de veículos, que aumentou de 26 para 36 casos (38%). O único índice que teve redução nos 12 meses de 2021 foram os roubos, que caíram 3%, diminuindo de 51 para 49 ocorrências.

No total, Penápolis registrou cinco homicídios dolosos; 11 homicídios culposos por acidente de trânsito; duas tentativas de homicídio; uma lesão corporal seguida de morte; 231 lesões corporais dolosas; 296 lesões corporais culposas por acidente de trânsito; cinco lesões corporais – outras; 18 estupros; 49 roubos; dois roubos de veículos; um roubo de carga; 504 furtos e 34 furtos de veículos.


DEZEMBRO

Em dezembro, o município fechou em alta nos furtos, comparando os resultados com novembro. Durante o período, a quantidade de casos deste gênero passou de 32 para 46, um aumento de 43%. O furto de veículos também registrou uma elevação de 125%.

Enquanto em novembro foram quatro ocorrências, no mês passado foram computados nove crimes desta modalidade. O roubo de veículos permaneceu zerado em ambos os meses e os roubos em geral caíram 20%, passando de cinco para quatro.


REGIÃO

A região terminou 2021 com redução nos furtos e roubos de veículos e nos roubos de carga. O indicador de extorsões mediante sequestro permaneceu zerado e a quantidade de prisões e armas de fogo ilegais apreendidas aumentou. Os furtos de veículos recuaram 8,1% no ano passado, em comparação com 2020.

O número passou de 418 para 384 – 34 ocorrências a menos e a menor soma da série histórica, iniciada em 2001. A tendência se estendeu para os roubos de veículos, que reduziram 18,2%, passando de 44 para 36 – o segundo menor número da série. Nos roubos de carga a diferença foi de um registro. A quantidade caiu de dez para nove.

O indicador de extorsões mediante sequestro, por sua vez, ficou zerado, assim como ocorre desde 2001. Em contrapartida, outros crimes patrimoniais subiram no período. Os furtos e roubos em geral tiveram alta de 16,7% e 12,4%, respectivamente. No indicador de roubo a banco o acréscimo foi de um caso. Em 2020, nenhuma ocorrência desta natureza tinha sido registrada na região.

Se analisado 2021 em comparação com o ano anterior, os estupros oscilaram de 218 para 221 e os latrocínios subiram de três para quatro boletins, enquanto as vítimas cresceram de três para cinco. No período, o número de casos de homicídios dolosos passou de 65 para 83 e o de vítimas de 69 para 86. Com isso, as taxas dos últimos 12 meses - de janeiro a dezembro de 2021 - ficaram em 10,58 ocorrências e 10,97 vítimas para cada grupo de 100 mil habitantes.


PRODUTIVIDADE

O trabalho realizado pelas três polícias – Militar, Civil e Científica – também foi destaque no balanço divulgado pela secretaria. De janeiro a dezembro, 305 prisões foram efetuadas na cidade e 812 inquéritos instaurados. Dezessete veículos foram recuperados e 187 flagrantes lavrados. Treze adolescentes foram apreendidos em flagrante e dois por mandado.

Houve ainda 25 casos de porte de entorpecentes, 96 de tráfico e 15 de porte ilegal de arma de fogo. Em 2021 aconteceram cinco apreensões de drogas e 22 de armas, além de 211 pessoas presas em flagrante e 118 por mandado. Já na região, o trabalho resultou em aumento na quantidade de prisões e armas de fogo ilegais apreendidas.

O primeiro cresceu 2,79%, passando de 3.768 para 3.873, enquanto o segundo subiu 4,33% - de 277 para 289. No período, foram registrados 1.089 flagrantes por tráfico de entorpecentes.



JARDIM DO LAGO 6 Horizontal topo

Comentários

Atenção: Os comentários feitos pelos leitores não representam a opinião do jornal ou do autor do artigo.