BIG MART INSTITUCIONAL Horizontal Topo

Penápolis fecha julho com redução de 17% nos furtos e pequeno aumento nos roubos

Polícia

Região terminou queda nos casos e vítimas de latrocínios, roubos em geral e furtos

Em julho, 27 prisões foram efetuadas na cidade pelas polícias, segundo a SSP

Em julho, 27 prisões foram efetuadas na cidade pelas polícias, segundo a SSP. Foto: Arquivo/JI

BIG MART INSTITUCIONAL Horizontal Meio da Notícia

Penápolis fechou julho com redução em alguns de seus principais índices criminais, em comparação com o mesmo período do mês anterior, conforme os dados disponibilizados recentemente pela SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo) em seu site.

De acordo com os números, os furtos em geral tiveram queda de 17%, quando foram computados 38 casos, ante 46 em junho. Os roubos, por sua vez, tiveram um pequeno aumento, passando de um caso para dois. Analisando com julho do ano passado, houve uma baixa, já que, naquele período, foram registrados seis casos. Já os furtos de veículos subiram de nenhum para dois o mês passado e os roubos de veículos, pelo terceiro mês consecutivo, permaneceram zerados.

Até o momento, Penápolis já registrou dois homicídios dolosos; sete homicídios culposos por acidente de trânsito; uma tentativa de homicídio, 129 lesões corporais dolosas; 156 lesões corporais culposas por acidente de trânsito; cinco lesões corporais – outras; nove estupros; 25 roubos; um roubo de veículo; um roubo de carga; 315 furtos e 13 furtos de veículos.


REGIÃO

A região terminou o mês passado com queda nos casos e vítimas de latrocínios, nos roubos em geral, de cargas e de veículos, bem como nos furtos de veículos. Os indicadores de estupros permaneceram estáveis e os roubos a bancos e extorsões mediante sequestro, zerados. Em julho, não foram registrados casos e vítimas de roubos seguidos de morte, ante um boletim e uma vítima contabilizados em igual período de 2020.

Os estupros, por sua vez, contabilizaram 20 registros no sétimo mês deste ano, assim como ocorreu no mesmo período do ano anterior. Em contrapartida, as ocorrências e vítimas de homicídios dolosos subiram de três para quatro. Com isso, as taxas dos últimos 12 meses - de agosto de 2020 a julho de 2021 - caíram para 8,16 casos e 8,54 vítimas para cada grupo de 100 mil habitantes.

Os roubos em geral recuaram 13,5% no sétimo mês deste ano, em comparação a julho de 2020. O número passou de 52 para 45, o menor total da série histórica, iniciada em 2001. A tendência de queda se estendeu para os roubos de veículos e de cargas. O primeiro passou de três para dois, enquanto o segundo caiu de um para zero.

Nos furtos de veículos, a redução foi de nove ocorrências. A quantidade passou de 28 para 19. O total deste ano também é o menor da série, ao contrário do que ocorreu com os furtos em geral. Esse indicador subiu de 464 para 586. Desde 2001, a região não apresenta ocorrências de roubos a bancos e de extorsões mediante sequestro em um mês de julho.


PRODUTIVIDADE

O trabalho realizado pelas três polícias – Militar, Civil e Científica – também foi destaque no balanço divulgado pela secretaria. Em julho, 27 prisões foram efetuadas na cidade. O total de inquéritos instaurados foram de 76. Houve ainda nove ocorrências de tráfico de entorpecentes, duas de porte de drogas, uma apreensão e quatro armas recolhidas.

Dez pessoas foram presas por mandado e 18 em flagrante, além de 17 flagrantes lavrados. Um caso de porte de arma foi computado no período e dois menores apreendidos em flagrante. Na região, o trabalho resultou em 328 prisões e na apreensão de 28 armas de fogo ilegais. Também foram registrados 74 flagrantes por tráfico de entorpecentes.



FUNEPE INSTITUCIONAL 2 horizontal topo

Comentários

Atenção: Os comentários feitos pelos leitores não representam a opinião do jornal ou do autor do artigo.