AREIA BRANCA HORIZONTAL TOPO

PF faz operação contra quadrilha que atacou bancos e prende mais um suspeito

Polícia

Crime ocorreu na madrugada de 30 de agosto em Araçatuba

Operação foi realizada pela Polícia Federal nesta terça-feira (14), em diversos municípios

Operação foi realizada pela Polícia Federal nesta terça-feira (14), em diversos municípios. Foto: Polícia Federal/Divulgação

BIG MART INSTITUCIONAL Horizontal Meio da Notícia

Operação desencadeada pela Polícia Federal nesta terça-feira (14), contra a quadrilha investigada por atacar duas agências bancárias de Araçatuba na madrugada de 30 de agosto resultou na prisão de mais um suspeito.

Ele foi localizado durante o cumprimento do mandado de prisão temporária na capital paulista, interrogado e encaminhado ao presídio, onde permanecerá à disposição da Justiça Federal. Segundo a PF, a 1ª Vara Federal de Araçatuba também expediu 20 mandados de busca e apreensão.

Com o apoio da Polícia Militar, foram cumpridos dois em Araçatuba, um Guarulhos, seis em São Paulo, oito em Campinas e três em Piracicaba. As equipes trabalham na identificação e prisão dos integrantes da organização criminosa. Atualmente, oito pessoas envolvidas no roubo foram presas, além de outras duas que foram identificadas, mas morreram após o crime.

A PF tem intensificado o trabalho de identificação e prisão dos integrantes da organização criminosa e, neste momento, espera colher mais elementos em decorrência das buscas realizadas.


CASO

Aproximadamente 30 criminosos fortemente armados atacaram as agências bancárias na região central de Araçatuba. A ação durou duas horas. Veículos foram incendiados para fechar vias e atrapalhar a chegada da polícia.

Além disso, os bandidos fizeram moradores e motoristas reféns, sendo que algumas das vítimas foram feitas de “escudo humano”. O grupo também usou drones para monitorar a chegada dos policiais. Três pessoas morreram na cidade, entre elas, um criminoso. Outras cinco ficaram feridas, incluindo o jovem que teve os pés amputados.

Dois suspeitos de participar do crime morreram em outras cidades, sendo um em Sumaré e outro em Piracicaba. As ruas centrais foram isoladas, pois explosivos foram espalhados pela cidade. O Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) apreendeu 98 bombas. Os artefatos tinham sensores para ativar explosões e outros eram acionados a distância por mensagem ou ligação. (*) Com informações do G1 de São José do Rio Preto e Araçatuba



COLÉGIO FUTURO HORIZONTAL TOPO

Comentários

Atenção: Os comentários feitos pelos leitores não representam a opinião do jornal ou do autor do artigo.