FUNEPE INSTITUCIONAL 2 horizontal topo

Três cidades tiveram 34 ligações clandestinas de energia em 2021

Cidade

Penápolis liderou a lista com 22 casos de fraudes nos 12 meses do ano passado

Ao todo, a concessionária fez 468 inspeções nas três cidades durante os 12 meses de 2021.

Ao todo, a concessionária fez 468 inspeções nas três cidades durante os 12 meses de 2021.. Foto: Divulgação

COLÉGIO FUTURO - Horizontal meio da noticia

Três municípios da microrregião tiveram juntos, ao longo do ano passado, 34 casos de fraudes e furtos de energia, os populares “gatos”, conforme levantamento feito pela CPFL Paulista. De acordo com os dados, Penápolis liderou a lista com 22 casos, seguido por Barbosa, com sete irregularidades, e Avanhandava (5). Ao todo, a concessionária fez 468 inspeções nas três cidades durante os 12 meses de 2021.

Na região de Araçatuba, as ações feitas resultaram em 13 GWh de energia recuperada. Conforme detalhou a CPFL, o montante seria suficiente para abastecer cerca de seis mil residências durante o período de um ano. Ao todo, a concessionária realizou 10,5 mil inspeções em 21 municípios da região, que identificaram 496 fraudes.

Além de Penápolis, entre as cidades com mais casos estão Araçatuba, com 279, e Birigui, que teve 115. Os números mostram que, na comparação com 2020, a CPFL conseguiu aumentar os níveis de energia recuperada na sua área de concessão, saindo de 116 GWh para 129 GWh, ou seja, um crescimento de 11,2%.

A concessionária aponta que isso é fruto de investimentos combinados em inteligência, tecnologia, inspeções rotineiras das equipes e também de denúncias que chegam à distribuidora. As inspeções realizadas de maneira contínua pela distribuidora ocorrem em parceria com a Polícia Civil tendo como foco a segurança com os demais clientes.

Ao fazer um gato na rede elétrica, o cidadão coloca em risco não somente a si mesmo e a sua residência ou comércio, mas toda a vizinhança e o sistema elétrico. Já a justiça se faz porque a energia furtada compõe parte da tarifa de energia elétrica, ou seja, os clientes regulares, que pagam suas contas em dia, acabam também arcando com o custo de parte da energia que é furtada.

Fraudes e furtos de energia são crimes previstos no Código Penal. As penas podem chegar a até quatro anos de prisão. Além disso, a pessoa que for flagrada cometendo a irregularidade terá cobrados os valores retroativos referentes ao período em que deixou de pagar pelo fornecimento.



FERREIRA ENGENHARIA Horizontal topo

Comentários

Atenção: Os comentários feitos pelos leitores não representam a opinião do jornal ou do autor do artigo.